sábado, 23 de março de 2019

O que é Mapa de Riscos? Como elaborar?

Como o próprio nome já diz, é uma representação gráfica dos riscos presentes no ambiente de trabalho. É um instrumento que a segurança do trabalho da empresa usa para identificar os riscos que os trabalhadores estão expostos, e fazer a conscientização dos mesmos sobre os riscos ambientais.



A presença do mapa de riscos em um local visível é fundamental para que o objetivo seja alcançado, ficando acessível à funcionários e visitantes.

A elaboração do Mapa de Riscos beneficia tanto empregados como empregadores, pois melhora a produtividade e consequentemente a lucratividade e os trabalhadores saberão que existem medidas preventivas e corretivas dos riscos com base no Mapa de Riscos.


Quem elabora o Mapa de Riscos?

De acordo com a NR 5 (CIPA), o Mapa de Risco deve ser elaborado por integrantes da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) com a orientação do SESMT (Serviço Especializado em Engenharia, Segurança e Medicina do Trabalho).

Como elaborar o Mapa de Riscos?

No mapa de riscos é usada a planta baixa de toda a empresa ou somente de um setor analisado. Essa planta deve conter conter as máquinas e equipamentos, e qualquer mobiliário que apresente riscos.

É importante levar em conta a opinião dos trabalhadores que realizam suas atividade naquele local de trabalho ao elaborar o Mapa de Riscos, isso porque eles tem experiência naquela atividade e podem expor suas reclamações ou queixas. É interessante também, observar o processo de trabalho naquele setor. 

No Mapa de Riscos, o risco é simbolizado por um círculo de tamanho variável, representando assim, a intensidade do risco. Existem três tamanhos diferentes.



A cor do círculo caracteriza o tipo de risco. São cinco: físico, químico, biológico, ergonômico e de acidente.

Para saber mais detalhes sobre os cinco tipos de risco, clique aqui.

Então, é evidente que um círculo grande na cor vermelho representa um risco químico grande.

Etapas de elaboração do Mapa de Riscos

Antes de iniciar o processo de criação do Mapa de Riscos, deve-se conhecer o ambiente, os trabalhadores e a atividade exercida por eles. 
Os itens básicos são: número de colaboradores, sexo, idade, jornada de trabalho, capacitações para aquela atividade e para segurança do trabalho.

A próxima etapa é identificar os riscos existente no ambiente e os gerados pela atividade exercida pelos trabalhadores. Após a identificação dos riscos, é importante identificar as medidas de controle para neutralização ou eliminação desses riscos. Caso não for possível eliminar o risco, deve-se criar medidas preventivas como EPC (Equipamento de Proteção Coletiva) ou EPI (Equipamento de Proteção Individual).

A etapa seguinte é determinar os indicadores de saúde, como as queixas mais comuns, os acidentes de trabalho já ocorridos, causas mais comuns de absenteísmo e as doenças profissionais identificadas.

Seguindo em frente, é hora de elaborar o Mapa de Risco, seguindo as orientações de cor e tamanho do círculo. O Mapa de Risco deve ser elaborado sobre a planta da empresa, ou um desenho representativo do ambiente de trabalho. Além de indicar o risco pela cor do círculo, é importante indicar o agente causador desse risco. A intensidade do risco é representada por tamanhos variáveis dos círculos.

Se o estabelecimento não tem Mapa de Riscos, fique atento, pois o mesmo é obrigatório em empresas ou locais de trabalho que apresentem riscos os funcionários. Esperamos que com esse post você consiga ter uma boa noção do que é Mapa de Riscos e como elaborá-lo.

0 comentários:

Postar um comentário